Na contramão da vida

Em pleno século XXI, ainda existem pessoas que insistem em andar na contramão da vida. Pessoas que continuam a fazer do sonho uma bandeira. Que ainda acreditam que sentimentos estão acima de quaisquer coisas. Hoje, as pessoas são práticas. Gostam e admiram as que são determinadas. As que aparentam beleza e no fundo têm uma alma suja. As que se mostram sensuais, mas que na prática são frias, ou, que por via de regra desejam sempre aquilo, que não possuem de fato. As que colocam o material, acima do emocional. As que impressionam com textos sensitivos e que no fundo, apenas tentam uma conquista a mais. Enfim eis o que homens gostam: A preocupação por não saber ao certo, por quem o coração de fato, bate. A insegurança da relação, por não saber, por quem ela está apaixonada de fato. Aquelas que ficam sempre esperando que ele tome a iniciativa, por se sentirem superiores. As que se mostram super inteligentes, ainda que tenha sido por sorte na vida. As que conseguem despertar interesse, mesmo que apenas, escrevendo textos que na verdade não são seus. Tenho visto muita coisa que me impressiona. Percebo o número enorme de mulheres que tentam uma conquista em blogs masculinos, mesmo sem saberem qual o estado civil deles. Vejo apelações em comentários... Há algum tempo desfiz meu blog pela decepção que tive com esse mundo. Aqui é cruel e se sai pisando nas pessoas sem a menor compaixão. Temos sempre que concordar e elogiar tudo que se escreve, porque quem discorda é tratado como alienado, burro, etc... Quem não gosta das acintosas paqueras tem que fechar os olhos e fazer de contas, que é apenas uma brincadeira, (de mau gosto), claro. O homem por se impressionar fácil pelo desconhecido e por se deixar levar por qualquer coisa nova, de certa forma, alimenta essa situação, pelo fascínio da atração que desperta tudo que é misterioso para ele. Assim, esse mundo acaba virando, muitas vezes, uma troca de falsos elogios e até mesmo de paqueras, onde o sentimento é jogado fora. O que importa é aquilo que se idealiza do outro naquele momento, o que desperta seu interesse, ou, os valores que se possa imputar, mesmo que essa situação venha a lhe causar a perda do que de fato tem e de verdadeiro sentimento. Existem as exceções, sim e graças a Deus têm pessoas que querem apenas, fazer amizades e divulgar seu trabalho. E essas saberão, compreender minha dor e realmente separar o jóio do trigo. Apesar de me sentir fora do contexto, continuo a minha caminhada valorizando o que sou e todo sentimento que tenho. Se hoje não me valorizam por amar demais, por ainda crer em sonhos, tenho a certeza que um dia verão o quanto isso vale. E só então, serão capazes de sentir, que as relações jamais terão plenitude, enquanto não houver amor, entrega, doação. Posso ser abestalhada, boba, mas ainda assim, quero terminar minha jornada do jeito que sou. Não pretendo me corromper pelo mundo ilusório da net, nem me vender por qualquer impressão que o outro venha a me causar. Eu ando na contramão sim, mas me orgulho de ser quem sou.

Um comentário:

Flávio disse...

Caramba... vc tava maus nesse dia, hein? :( Mas não faz isso não, menina; a vida sempre nos traz novas alegrias. E crescemos, entre os sorrisos e as lágrimas... ;)