O sentido da vida

Fechei os olhos

percebi teu cheiro

impregnando nosso quarto

acelerando meu compasso.

Sentindo o teu corpo,

bem perto chegando.

Meu coração bateu forte,

com tuas mãos me tocando.

No teu carinho,

nos teus lábios

seguindo teu caminho;

arrepiei, entonteci!

Fui aos poucos

te despindo,

e no roçar de nossos corpos

minha voz lânquida, sumindo...

Em teus braços:

dancei como bailarina;

sorri feito menina;

brinquei de paciente e doutor.

Viajei ao infinito

Percebi teu gemido.

Pensei ao céu ter chegado,

vi o mundo mais colorido.

Em nossa volúpia envolvida,

nem o tempo percebi,

chorei de tanto amor.

No teu arrepiar, estremeci...

assim, em êxtase,

em transe, entorpecida,

no teu corpo

entendi o sentido da vida.

Nenhum comentário: