Talvez, o amanhã possa existir.
Talvez, um dia por aqui, eu volte.
Talvez, ainda encontre os amigos
Talvez um dia eu volte a sorrir...
Ah, esse amor!..
Amor, palavra que exprime tudo mas que nem todos sabem o que realmente quer dizer. Estive revendo minha vida. Complicado amar do meu jeito. Esse amor de entrega e doação. Aquele que já não mais se ouve comentar. O que se vive por ele, sem nada esperar. Um amor citado apenas em fábulas, atualmente, ultrapassadas. Talvez, ultrapassada mesmo seja eu, ou, esse sentimento profundo, esquecido pelo mundo.
Ah, vida engraçada! Muitos que falam nesse amor. Tantos que nem dele querem saber. Outros que dariam tudo pra ter, sentir... e eu, pobre de mim, hoje num abismo profundo, numa tristeza infinita, exatamente por ele, tão enraizado, para mim, traidor;
Que roubou minha alma, minha vida e agora?
Na incerteza, num desafio a proeza,
de caminhar sem você, minh'alma chora...
Ah, minha vida, meu sonho mais lindo, mais profundo! Por que assim me deixa? Por que tem que ser assim? Por que entro na sua vida, sempre na hora errada, mais inconcebida? Por que não me abre um pouquinho esse coração? Deixe lhe mostrar um caminho diferente, uma estrada colorida, segurando em sua mão.
Ah, saudade infinita! Que me corta a alma, me deixa aflita, uma vontade imensa!.. Que maltrata, corrói a alma e quase me mata. Quem dera, se nesse lugar, de um céu tão azul, de tão bonito mar, eu pudesse estar, num cantinho desse coração e não me perdesse desse olhar.
***********
Minha vida, que digo ao meu coração que te ama e a meu corpo que te deseja, se eles não entendem palavras?
Apenas passeando pelo vazio da minha alma, tentando entender muitas coisas. Não posso conter as lágrimas que insistem em cair. Queria imensamente sair andando em direção a nada voltar a lugar algum. Apenas, eu e as minhas dores, minhas cicatrizes, que jamais se apagarão.
A dor do adeus é grande, mas ainda maior é o sofrimento diário, as tristezas que amargo durante as noites e suportar meus falsos sorrisos, para as pessoas durante os dias, pelo respeito aos que junto a mim convivem.
Antes eu havia perdido meu rumo, mas esse era apenas o circunstancial, o material. Agora pior; é muito mais que isso. É o meu emocional, sentimental. Já não tenho mais onde ser machucada. Às vezes penso que a missão está sendo maior, que a minha capacidade de cumpri-la. E o fardo, tão pesado que minhas costas arquejam diante do peso. Talvez minhas lágrimas pudessem irrigar regiões áridas.
Só Deus pode entender as angustias que me atormentam e apenas ele será capaz de abrandá-las. Triste ver seus sonhos se esvaindo e os pesadelos (infelizmente reais), ocuparem seus espaços. Dormir num paraíso e acordar no inferno.
Perdoe Senhor; as minhas fraquezas, as minhas revoltas, em momentos que me deixo levar pelo sofrimento. Compreensível até, por ser humana e como tal susceptível a isso. Entretanto, ainda compreendo, num minutinho em que consigo ver lógica, que nada nesse mundo passamos, que não tenhamos feito por merecer. Que não seja pela necessidade de espiritualmente, crescer.
Lú por um triz
Lú menininha
Lú a fadinha
Lú adolescente,
nem tão inocente.
Lú que casou,
Lu que separou,
Lú que viveu
muita gente conheceu.
Lú que engravidou
que se decepcionou.
Lú tristinha
que pariu sozinha,
Lú que lutou
a vida recuperou.
Lú que amou,
Lú que chorou,
que entristeceu
Lú que sofreu.
Lú recasou,
a vida renunciou.
Lú mais vezes pariu
e só assim sorriu.
Lu magoada,
sofrida, espancada.
Lú por um sonho
num mundo tristonho.
Lú num reencontro,
esqueceu seu pranto.
Lú que renasceu,
o amor reacendeu,
Lú reviveu,
o passado esqueceu.
Lú voltou a brilhar,
voltou a cantar.
Lú que era feliz,
agora, Lú por um triz.
Lú tristinha
sempre sozinha,
num canto largada.
Lú mal amada,
Lú, tão perdida
do mundo, quer a partida.
Levada pelo vento, pelo tempo, pela vida. Corroída pela tristeza, pela solidão, pela emoção, pelo amor. Na amargura sai; navega sem rumo, vagando no mundo, cumprindo o destino. Sem abrigo, vida vazia, sem alegria, pelo tempo vai.
Minha história de vida. Minha familia, meus amores. Filhos, nora, genros e minha linda netinha!
Meu sonho mais perfeito. Minha eterna paixão. Meu amor infinito, minha doce ilusão!

Amor da minha vida
Quando não te vejo,
a saudade é tão forte,
que as lágrimas invadem meu rosto,
apertam meu coração.
Quando te sinto em meu peito,
é tanta felicidade,
que tento desesperadamente,
segurá-la com a mão.
Viajo nos meus delírios,
quando meu corpo por ti é tocado.
E num beijo meigo, profano e devasso,
me entrego a loucura do teu abraço,
onde me encontro perdida,
na ânsia do prazer infinito do teu amasso.
Vem amor da minha vida,
te entregues pra mim,
deixes que faça do teu corpo, altar dos meus desejos.
Quero deixar tua marca gravada assim,
para que sempre eu possa, mesmo distante,
sentir o calor dos teus beijos.

Meu Flá, com carinho. Não demora meu bem. Morro um pouco a cada dia sem você

(3 dos meus filhos. As mulheres da minha vida)
Mãe e Mulher
São dois seres distintos; ser mãe, alma de amor e doação. Ser mulher, vida cheia de emoção. As duas se completam, mas não precisam ser uma só, quem ama sabe bem ser mãe; ser mulher nem sempre esse lado expõe. Mas o lado da mulher de verdade, que nem sempre é só vaidade reclama a carência que fica, quando em tristeza descobre que jamais poderá ser mãe e a lágrima do rosto escorre. Ser mãe, nem sempre orgulho enaltece Mas quando o filho no colo padece sente no peito a mais profunda dor Que mata a mulher e faz nascer a mãe amor
Meu sonho! Vem amor lindo! Segura em minha mão, não tenha medo. Deixe que lhe conduza pela vida. Ouça a melodia que toca o coração. Vamos em direção as estrelas. Em nossa viagem, podemos tudo que o amor nos permite. Temos o céu maravilhoso por limite.
Quero lhe fazer feliz, quero oferecer-lhe o mundo que você sempre quis. Podemos construí-lo, podemos chegar ao sol. Caminhar pelo céu infinito, entre nuvens, no arrebol. Feche os olhos sinta meu beijo, meu toque, perceba o palpitar da nossa emoção. Vamos seguindo o vento, pés descalços, apenas flores colorindo nossa estrada. De pouco precisamos que na terra construímos. Vivendo nosso amor, também alegraremos nossas almas.
Deitar na grama e molhar nossos corpos com o orvalho da manhã. Dormir depois da comunhão, embalados pela brisa e iluminados pelo luar encantado.
O seu cheiro trará, novamente, o encanto que preciso para despertar meu desejo. Vem meu Flá, deixe que lhe faça sentir, o ser mais amado, nos meus carinhos, na minha entrega. Quero conduzi-lo por lindos e doces caminhos.
(Parabéns a todas as mulheres. Pela luta, coragem, garra, despreendimento, inteligencia, mas em especial, àquelas que apesar de tudo, não perdem a feminilidade, a sensibilidade, o carisma, a doação, o carinho, a esperança e o amor).
Na contramão da vida

Em pleno século XXI, ainda existem pessoas que insistem em andar na contramão da vida. Pessoas que continuam a fazer do sonho uma bandeira. Que ainda acreditam que sentimentos estão acima de quaisquer coisas. Hoje, as pessoas são práticas. Gostam e admiram as que são determinadas. As que aparentam beleza e no fundo têm uma alma suja. As que se mostram sensuais, mas que na prática são frias, ou, que por via de regra desejam sempre aquilo, que não possuem de fato. As que colocam o material, acima do emocional. As que impressionam com textos sensitivos e que no fundo, apenas tentam uma conquista a mais. Enfim eis o que homens gostam: A preocupação por não saber ao certo, por quem o coração de fato, bate. A insegurança da relação, por não saber, por quem ela está apaixonada de fato. Aquelas que ficam sempre esperando que ele tome a iniciativa, por se sentirem superiores. As que se mostram super inteligentes, ainda que tenha sido por sorte na vida. As que conseguem despertar interesse, mesmo que apenas, escrevendo textos que na verdade não são seus. Tenho visto muita coisa que me impressiona. Percebo o número enorme de mulheres que tentam uma conquista em blogs masculinos, mesmo sem saberem qual o estado civil deles. Vejo apelações em comentários... Há algum tempo desfiz meu blog pela decepção que tive com esse mundo. Aqui é cruel e se sai pisando nas pessoas sem a menor compaixão. Temos sempre que concordar e elogiar tudo que se escreve, porque quem discorda é tratado como alienado, burro, etc... Quem não gosta das acintosas paqueras tem que fechar os olhos e fazer de contas, que é apenas uma brincadeira, (de mau gosto), claro. O homem por se impressionar fácil pelo desconhecido e por se deixar levar por qualquer coisa nova, de certa forma, alimenta essa situação, pelo fascínio da atração que desperta tudo que é misterioso para ele. Assim, esse mundo acaba virando, muitas vezes, uma troca de falsos elogios e até mesmo de paqueras, onde o sentimento é jogado fora. O que importa é aquilo que se idealiza do outro naquele momento, o que desperta seu interesse, ou, os valores que se possa imputar, mesmo que essa situação venha a lhe causar a perda do que de fato tem e de verdadeiro sentimento. Existem as exceções, sim e graças a Deus têm pessoas que querem apenas, fazer amizades e divulgar seu trabalho. E essas saberão, compreender minha dor e realmente separar o jóio do trigo. Apesar de me sentir fora do contexto, continuo a minha caminhada valorizando o que sou e todo sentimento que tenho. Se hoje não me valorizam por amar demais, por ainda crer em sonhos, tenho a certeza que um dia verão o quanto isso vale. E só então, serão capazes de sentir, que as relações jamais terão plenitude, enquanto não houver amor, entrega, doação. Posso ser abestalhada, boba, mas ainda assim, quero terminar minha jornada do jeito que sou. Não pretendo me corromper pelo mundo ilusório da net, nem me vender por qualquer impressão que o outro venha a me causar. Eu ando na contramão sim, mas me orgulho de ser quem sou.