Aos amigos um beijo de saudade. Obrigada por tudo!
Pequenas coisas

Trago em minha boca o gosto amargo do fel da decepção.

Tenho o meu corpo tatuado pela desilusão.

Em minha memória ficam as doces palavras ditas

E sentires que silenciados, foram interpretados,

a medida em que, a solidão

e o distanciamento ficaram mais evidentes...

Vejo o tempo passando

enquanto minhas esperanças vão se esvaindo,

o sonho se perdendo, mofando.

Enquanto sua vida acontece,

eu apenas fico só esperando.

Pelas tentativas de lhe fazer acordar,

ou enxergar as lacunas deixadas no dia a dia

e nas escritas, em um pergaminho,

que moldam o fim de uma história bonita,

que pensei, nunca ficar em desalinho.

Sinto na aurora que chega com a primavera,

acordar desse sono profundo...

me olho, e me pergunto;

que faço nessa história que não é minha?

Me perdi de mim mesma, perdi meu rumo?

Aonde foi parar aquele amor,

que no início, era escrito em prosas poéticas

e eu embevecida, despertei nossa velha história,

que pensei estar perdida?

São pequenas coisas; mas esse passado lindo

está cada vez mais distante.

As memórias se desfazendo dentre o presente

e assim vou vivendo cada dia mais só, mais carente.

O que antes não viveu, pra provocar seu próprio

fim, agora faz parte de todo um contexto;

acordo do sonho e vejo, que meu príncipe,

é igual a todo homem: cheio de desculpas e pretexto.

Obrigada, aos amigos que eventualmente passaram por aqui

e aos estiveram comigo em todos os momentos,

um agradecimento especial. Deus abençoe a todos! Desculpem a minha falta de tempo,