Esperança
Os anos passam e a cada dia descubro o quanto posso resistir às intempéries da vida e sair fortalecida, quando no meio do caminho, sou atropelada por um infortúnio, um dissabor. Não sei onde consigo força para superar e prosseguir, ainda que amarga seja a estrada, ainda que o vazio e a solidão me cortem o coração.
Quando tudo parece terminado, olho lá no horizonte e percebo que dentre as nuvens escuras, existe uma réstia de luz, onde me agarro com todas as forças, que vem do fundo da alma.
Os sonhos que parecem esfumarem-se com as desilusões, escondo-os, no âmago do meu ser e digo pra mim mesma: outros virão substituir, aqueles que não me fariam feliz. E assim, aprendi a driblar minhas insatisfações.
Chorar?... Ah! Quantas vezes... Quanto meus olhos foram vendados pela cachoeira dolorosa... Quantas noites perdidas que me fizeram amanhecer com o rosto inchado... Mas ao primeiro raio de sol, me vi iluminada por aquele brilho intenso, e me fazendo de forte, ao espreguiçar em voz alta exclamei: hoje será o grande dia! Vou redobrar minhas forças, arregaçar as mangas, esquecer o pranto, pois a partir de hoje, vou mudar meu rumo, não vou mais sofrer, nem que seja até o próximo anoitecer.
De manhãzinha, quando os passarinhos aparecem cantando em minha varanda fico cheia de alegria. Vem-me a idéia de que eles são enviados de Deus, me trazendo uma mensagem de esperança. Assim me encanto e sorrio feito criança.
Noites de cio
Em minhas noites acesas, à luz da lua,
em que a verdade aparece nua e crua,
sem teu corpo, que me inspira a poesia,
dessas noites que sozinha, tão vazia,
em nossa cama, em vão te procurei.
Em prantos, meus desejos sufoquei,
na ânsia de te sentir, em te ter,
meu corpo em chamas, a te querer...
Busquei os teus olhos, em meus olhos
encontrei uma sombra, o vazio
e nessas noites, em pleno cio
rasgo de saudade o meu peito,
tentando em vão dar um jeito,
porque não quero ficar assim.
Não te quero distante de mim,
nem quero esse sonho partido;
quero nosso mundo colorido,
quero teu carinho, teu sabor,
na paixão desabrochar a flor.
Quero teu amor, sem dividir,
me ver, nos teus olhos a sorrir.
E nessas noites, quero teu cheiro,
me perder no teu corpo
e me encontrar, depois do amor,
em teus braços, no teu beijo.