Queridos amigos; quero dividir essa felicidade com vocês: meu netinho nasceu dia
16/08/2011, e tem o mesmo nome do bisavô, Arthur.
Devido a falta de tempo, não fui visitar ninguém essa semana.
Mas assim que puder irei. Beijos
Saudade, meu pai!
Pai; tenho saudade daquele tempo
em que sabia, podia te ver por aqui.
E apesar de toda minha tristeza,
muitas vez, ao teu lado eu sorri.
Das tuas mãos tão amigas,
da certeza do amparo e acolhimento
das doces palavras que você me dizia,
tentando advinhar meus pensamento.
Saudade da tua alegria contagiante,
das tardes alegres de cantoria,
dos domingos carregados de emoção,
do encontro da familia, da sua companhia...
Quanta falta, quanta saudade meu pai!
E embora eu tente muito superar,
em todos os momentos, não me esqueço;
pois dentro de mim, ficou vazio, o seu lugar.
Pai; o tempo nos dá conformidade, entendimento ,
mas a saudade fica cada vez maior
nos deixando a certeza,
que jamais sairá do nosso pensamento...
No lusco-fusco
Dança comigo?...
No lusco-fusco do fim de tarde,
ao nascer radiante da lua
cole o meu corpo em seu corpo,
se entregue a minha alma nua.
Sinta o meu coração,
que palpita em desatino, feito louco.
Sussurre aos meus ouvidos
seus segredos mais profundos,
me faz ouvir os seus roucos gemidos.
Quero na penumbra lhe despir
e na bela noite que está por vir,
ao som dessa linda canção,
deslizar sobre o seu, o meu corpo
entre cheiros e sabores de emoção.
Vem no lusco-fusco;
me faz ver as estrelas no cair da noite,
pois, no amanhecer já será outro dia.
O encanto que nos envolve se quebra
nos acorda a verdade, acaba a magia!
Meus amigos estou fora do meu domicílio, a espera do nascimento do meu netinho.
Meu amado lindo, saudade enorme, viu? Beijos