Brincando com as palavras

O que tiver que ser, será

Oi meu dengo to aqui avexada:
já joguei flor na encruzilhada,
já pedi a Oxalá, proteção.
Já fui naquela velha cartomante
tomei até um chá calmante.
pra controlar minha aflição.

Já te mandei uma foto nua
juntei a minha com a tua,
botei num prato com mel.
Acendi vela de sete dias
usei todas as formas de magias
e até agora, só provei o fel.

Já rezei por treze dias.
uma trezena de Ave Marias,
pra amarrar teu coração.
Escrevi teu nome na calcinha
enrolei numa flor branquinha,
com um galho de manjericão.

Já te fiz alguns poemas,
usando todos os fonemas
te mostrando meu tesão.
Já sonhei com aquela lua,
com aquela cama e eu nua,
cheia de amor e paixão.

Agora tô que tô! Já sacramentei:
essa história ao Pai entreguei...
o que tiver que ser, assim, será.
A migué, eu vou seguindo,
levando minha vida sorrindo,
na delícia do Deus dará.